Go to the page content

Perder peso: é uma questão de força de vontade ou de biologia?

Para perder peso, terá de comer menos e movimentar-se mais. No entanto, muitos aspetos das nossas escolhas alimentares e atividade física são determinados por sistemas biológicos complexos que vão para além da nossa força de vontade.

Todos os dias tomamos centenas de decisões, grandes e pequenas. Muitas decisões que tomamos como certas, com o tempo revelam-se más decisões. Por vezes, até sabemos que estamos a tomar uma decisão errada no momento em que a tomamos.

Este é frequentemente o caso quando se trata da nossa relação com o que comemos. Culpamo-nos por não tomar as decisões acertadas no que diz respeito aos nossos objetivos de perda de peso. Tentamos comer menos e movimentarmo-nos mais, mas nem sempre conseguimos.

Mas, e se tivermos muito menos livre-arbítrio do que pensamos?

Biologia vs Força de Vontade

Podemos agradecer ao economista comportamental Daniel Kahneman por nos ajudar a compreender que temos menos controlo consciente sobre as nossas decisões do que pensamos. Na verdade, tomamos muitas decisões sem estar conscientes disso.

Kahneman diz que há 2 formas de pensar: o Sistema 1 e o Sistema 2. O Sistema 1 é rápido, intuitivo e inconsciente, como tirar uma camisa do armário ou atar os sapatos.
O Sistema 2 funciona de forma diferente. Imaginemos que tem um compromisso importante. Poderá passar muito tempo a experimentar roupas diferentes e a pedir a opinião dos seus amigos. Este é o pensamento do Sistema 2 – lento e deliberativo. 

Como é que o Sistema 1 e o Sistema 2 funcionam na regulação do peso e do apetite?

Muitas pessoas já pensaram durante muito tempo sobre os seus objetivos de peso e os alimentos que devem comer. Isso pode significar fazer dieta ou não repetir a dose à refeição. Isto é o que a maioria das pessoas define como força de vontade. A força de vontade funciona sob a influência do Sistema 2.

Mas manter os objetivos de alimentação e peso é mais difícil pela forma de pensar do Sistema 1. Essa forma de pensar é regida pelo nosso modo de sobrevivência, modo esse que já não é tão relevante nos dias de hoje. As regras de sobrevivência favorecem o consumo de alimentos altamente energéticos e protegem-nos vigorosamente da perda de peso.

“Uma combinação de terapias e abordagens que se referem a vários mecanismos envolvidos na regulação do peso será provavelmente a forma mais eficiente de controlar a obesidade”.

-Berthoud HR et al. Blaming the Brain for Obesity: Integration of Hedonic and Homeostatic Mechanisms.
A woman at the gym planking

Então, como perder peso?

A ciência provou que, se queremos perder peso e mantê-lo, a força de vontade está longe de ser o único fator. Na verdade, ela desempenha um papel muito menor do que pensávamos na regulação do peso.

O peso é controlado por diversos processos e alguns deles estão completamente fora da nossa consciência. É por isso que a combinação de abordagens terapêuticas diversificadas será provavelmente a maneira mais eficiente de controlar a obesidade, de acordo com o grupo de investigação da Universidade Estatal do Louisiana.

Felizmente, não está sozinho. Marcar uma consulta com um profissional de saúde para definir um plano de tratamento personalizado é um importante primeiro passo para começar a enfrentar o desafio, fazer a sua biologia trabalhar a seu favor e perder peso.

Referências
  • Berthoud HR, Münzberg H, & Morrison CD. Blaming the Brain for Obesity: Integration of Hedonic and Homeostatic Mechanisms. Gastroenterology 2017; 152:1728–1738.
  • Hall K & Hammond RH. Dynamic Interplay Among Homeostatic, Hedonic, and Cognitive Feedback Circuits Regulating Body Weight. American Journal of Public Health 2014; 104:7.
  • Nair P. QnAs with Daniel Kahneman. PNAS 2013; 110(34),13696.

PT22OB00020

Artigos relacionados